E Pamukkale, hein?

Queridos leitores, eu sei que eu sobrecarrego a conexão de vocês e fica difícil dar Alt + Tab aí no trabalho, entre uma planilha e outra. Mas é que Pamukkale é outro desses lugares que merecem umas mil fotos, no mínimo. Outro lugar daqueles que valem a viagem pela Turquia.

Depois de uma eternidade* pelas estradas turcas (muito bem conservadas), chegamos a Pamukkale –  “Castelo de Algodão“, em turco. Parecia até que estávamos entrando em alguma cidade de serra no Brasil: Gramado, Canela, Mury em Nova Friburgo etc. Tem a estrada principal, casinhas, restaurantes, portal da cidade, parques e lagos. Ao fundo, os famosos travertinos – as formações de terraços calcáreos onde jorram as águas termais que vocês já viram nos powerpoints da vida.

22 – dois patinhos na lagoa

Hospedagem no Pam Thermal Hotel. Normal, com piscinas termais e não dá para avaliar mais nada. Foi só uma noite (site meio brega, dizendo que Nicholas Cage se hospedou lá…).

….

E, no dia seguinte, a visita aos travertinos (15 TL). Estes terraços sofreram com a exploração turística desenfreada e, há dez anos, a UNESCO declarou o sítio “Patrimônio Mundial” e o local vem se recuperando bem. Hoje não se pode mais tomar banho nas piscinas naturais; só se pode caminhar descalço por elas e olhe lá (adeus, powerpoint).

Confesso que estava com medo, achando que o lugar já estaria detonado e seria uma decepção. Mas, ao chegar…

………..

Meus medos foram totalmente infundados. É lindo, é mágico, é surreal. Salvador Dalí passou por aqui.

Aliás, o nosso fiel amigo da Capadócia, aí em cima, também.

Reparem que até nublado fica bonito. Quando alguma coisa continua bonita em dias nublados – e proporciona boas fotos – é porque realmente é espetacular.

As águas termais, que correm por um canal à direita, são quentinhas e dá para sentar e molhar os pezinhos. Já o resto estava bem mais frio no dia. No verão, deve ser uma loucura. Cuidado que em alguns lugares escorrega.

Um pequeno passo para o blogueiro, um grande passo para o blog

No topo dos terraços, há as ruínas da cidade greco-romana de Hierápolis, construída aqui justamente para ser um spa. Os antigos já sabiam o que é bom.

Mas, com todo o respeito, não me detive nas ruínas. Meu negócio era ver Pamukkale com meus próprios olhos. Apreciar o que é único. Afinal, é para isso que a gente viaja, não é mesmo?

Este tipo de formação é raríssimo no mundo. Pelo que pesquisei, igual, igual mesmo, só há os terraços de Badab-e Surt no Irã, e os de Baishuitai, na China; e havia os terraços rosa e branco, na Nova Zelândia, destruídos após uma erupção vulcânica em 1886.

E já tinha até me passado pela idéia que Pamukkale tivesse sido construído pela Disney, em segredo…

*Sobre ir da Capadócia a Pamukkale

Para quem quer fazer o circuito completo pelo interior da Turquia, o roteiro dos pacotes das agências é assim: 700 km no ônibus, dez horas, com paradas para ir ao banheiro e almoçar, e uma infeliz visita caça-níqueis ao mosteiro-museu Mevlana, em Konya, sede da ordem dos dervixes rodopiantes. Só que o espetáculo da dança ocorre somente aos domingos (era quinta).

Para quem vai por conta própria, porém, voar da Capadócia até Pamukkale é chato: pesquisei e os únicos vôos são da Turkish Airlines, saindo do aeroporto de Nevsehir com conexão demorada em Istambul, e chegada no aeroporto de Denizli, a uma hora e meia de Pamukkale. Ou seja: será necessário ter muita paciência do mesmo jeito e arranjar um transfer do hotel.

Outra opção seria sair no domingo de carro da Capadócia, ir até Konya, de maneira que dê para ver os dervixes, pernoitar e continuar no dia seguinte até Pamukkale.

ATUALIZAÇÃO: roteiro feito por um casal amigo – voar de Nevsehir a Izmir, alugar um carro, hospedagem em Selçuk (54 km) para fazer todo o roteiro das ruínas de Éfeso e seguir para Pamukkale. Quem quiser ver a dança dos dervixes pode fazê-lo em Istambul, como fez o JB, do Descobrimento da América +.

OUTRA ATUALIZAÇÃO: Conforme o comentário abaixo da Liliane Gondim, pode-se voar direto para Bodrum, subir de ônibus até Kusadasi, montar base e fazer os bate-e-volta (Pamukkale e Ephesus). De lá, ir até Izmir, e pegar o vôo pra Capadócia, da Sun Express.

About these ads
Esse post foi publicado em Pamukkale, Turquia, Viagens e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para E Pamukkale, hein?

  1. Arthur, eu já tinha lido o post pelo celular e achado lindo, mas agora abri no computador e ficou ainda melhor! Quero nem imaginar a cor dessa água quando faz sol. ;-)

  2. Olá! ótimo post! Adorei rever Pamukkale pelas suas fotos e realmente é um dos lugares mais incríveis da Terra. Lembro que quando estava planejando a viagem, lia muitos comentários infundados de gente falando que não valia a visita pois as piscinas tinham secado. Ainda bem que segui minha intuição e fui mesmo assim ;-)

  3. Lu Malheiros disse:

    Lindo! Lugarzinho difícil de se chegar, mas, pelas fotos, vale a pena!

    • Arthur "H" disse:

      Camila, obrigado! Chovendo ou fazendo sol, Pamukkale é 1000.

      Monique, valeu! De fato, nota-se que algumas poucas piscinas estão secas, mas nada que desmereça o lugar, muito pelo contrário.

      Lu, os lugares mais bonitos são os mais difíceis ;)

  4. Não tenho a menor dúvida de que Pamukkale é um daqueles lugares de paisagens absolutamente embasbacantes. Daquelas em que o jeito é fazer mesmo o que vc fez: encher o post de fotos, por só a descrição não alcança!
    Pamukkale tá muito, muito na minha lista de lugares que eu quero ir. Tão cotada, que iria à Turquia só para vê-la e voltar – mesmo sabendo das muitas outras coisas lindas que rola por lá!

    Concordo com você: os antigos sabiam mesmo das coisas, e lugar longe é que é lugar lindo!

    Bjos e muito parabéns pelas fotos.. Babantes!

  5. Arthur, eu fiz assim: 6 dias em Istambul, voei direto para Bodrum, fiquei uns dias, subi de ônibus até Kusadasi (Carlinhaz tinha me recomendado não ficar em Selçuk), onde montei base e fiz os bate-e-volta (Pamukkale e Ephesus). De lá, fui até Izmir, que queria conhecer, e peguei o voo pra Capadócia, de Sun Express.

  6. Michelli disse:

    Arthur! Ate ler o seu blog tinha exatamente a mesma impressao: de que vou chegar la e tudo estara detonado pq milhares de pessoas ja descobriram essa maravilha da natureza antes de mim… Suas palavras me confortaram! Quando li que mesmo um pouco modificada pela açao do homem Pamukkale continua linda, confesso que senti um grande alivio! Preciso de um dia de sol! Preciso! Otimo blog! Sucesso para ti! Um abraço!

  7. Vivian disse:

    Ola! Gostaria de saber em qual mês você foi a Pamukkale. Eu vou para Turquia em Março ultimo mês de inverno lá e tenho receio se será possível curtir Pamukkale.

  8. Roberto disse:

    Olá!
    Você sabe em que empresa o casal amigo alugou o carro? Eles pegaram em Izmir e devolveram em Pamukkale?
    Obrigado!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s